Quem Somos

APEOP-PI

A Associação Piauiense dos Empresários de Obras Públicas, APEOP/Piauí, é uma sociedade civil sem fins lucrativos, que representa as empresas que atuam nos setores de obras públicas do Estado do Piauí, reunindo construtores, prestadoras de serviços, consultorias da área de Engenharia, concessionárias de obras e de serviços públicos, escritórios de assessoria jurídica e adquirentes de bens e serviços privatizados.

A APEOP/Piauí tem o objetivo de desenvolver estudos, coordenar e aprimorar atividades de seus associados, a fim de garantir a qualidade dos serviços, continuidade das obras e o preço justo, além de manter a regularidade dos pagamentos do setor e desenvolver seu papel de harmonizar os interesses dos empresários com os interesses do Estado.

A APEOP/Piauí é constituída por empresas de todos os portes – grandes, médias e pequenas – que participam de obras e empreendimentos das três esferas do poder público e que empregam milhares de trabalhadores e profissionais especializados.

As empresas associadas desenvolvem sua atuação especialmente nas áreas de saneamento, edificação, pavimentação urbana, energia elétrica, habitação popular, conservação de ruas e jardins, telefonia, obras pesadas (pontes, viadutos, metrô, portos, aeroportos, barragens), rodoviária (terraplenagem e pavimentação), ferroviária, imobiliária e de tecnologia (consultoria e projetos).

OBJETIVOS

É do interesse dos Associados APEOP/Piauí, fomentar o setor de construção civil no sentido de melhorar a qualidade técnica da execução das obras públicas no Estado do Piauí, qualificando os profissionais do setor, buscando melhorar a qualidade dos orçamentos e dos projetos Arquitetônicos e Executivos.

Promover seminários com a frequência necessária para discutir com os atores envolvidos no setor de construção civil na esfera pública, formas de contratação de obras por preço justo, com qualidade durável e aceitável.

Buscar sempre a união do empresariado estadual no sentido de desenvolver políticas de facilitação da atuação empresarial, combatendo a exagerada burocracia estatal e a postergação das decisões técnicas, tornando impossível o cumprimento de prazos inicialmente estabelecidos no contratos de execução de obras.